Estacionamento gratuito em shoppings e hipermercados tem projeto de lei aprovado

A Assembleia Legislativa de São Paulo aprovou, nesta quarta-feira (13), um projeto de lei que estabelece a gratuidade do estacionamento em shoppings centers e hipermercados para os clientes que consumirem, no mínimo, o correspondente a dez vezes o valor da taxa do estacionamento. A proposta, de autoria do deputado estadual Rogério Nogueira (PDT), está no gabinete do governador José Serra (PSDB), que tem 15 dias para sancioná-la

Estacionamento

Se, por exemplo, a tarifa cobrada pelo estacionamento for de R$ 5 para duas horas, o cliente terá que consumir no mínimo R$ 50 no período para obter a gratuidade. Já se a tarifa para a permanência de três horas no estacionamento for de R$ 7, por exemplo, o consumidor terá que gastar ao menos R$ 70 para não pagar a taxa. Caso o cliente consuma R$ 60, ele terá a isenção do pagamento somente nas duas primeiras horas e terá que pagar pela terceira.

Em junho de 2005, quando ainda era prefeito, Serra vetou uma proposta semelhante, alegando que legislar sobre preços da iniciativa privada não era de competência municipal, e sim dos Estados e da União. Na ocasião, o prefeito afirmou ainda que a função do Estado é indicar e fiscalizar as atividades econômicas do setor privado, e não estabelecer preços, o que é, segundo Serra, inconstitucional. A Abrasce também considera a interferência inconstitucional.

Também em 2005, o governador Geraldo Alckmin (PSDB) vetou um projeto de lei do deputado estadual José Dilson (PDT), aprovado na Assembleia Legislativa do Estado. A proposta era praticamente igual à de Nogueira. No mesmo ano, a então governadora do Rio de Janeiro, Rosinha Matheus (PMDB), chegou a sancionar uma lei semelhante, mas a Abrasce (Associação Brasileira de Shopping Centers) conseguiu uma liminar que autorizou a prática da cobrança. O processo ainda tramita na Justiça.

Rogério Nogueira, autor do projeto, acredita que Serra mudará de ideia dessa vez. “Não acho que será vetado. Vou ter uma conversa com o governador e apresentar o projeto. Quero mostrar a ele que as pessoas estão interessadas na aprovação”, afirma. Para o deputado, o projeto não é inconstitucional porque apenas regulamenta a cobrança nos estacionamentos.

Fonte:uol


Tags: , , , , , , , , ,

Não encontrou o que queria? Pesquise abaixo no Google.


Para votar clique em quantas estrelas deseja para o artigo

RuimRegularBomMuito BomExcelente (Seja o primeiro a votar)
Loading...



Enviar postagem por email Enviar postagem por email

Comentários

  • marcos disse:

    aa

  • anderson camelo disse:

    es ai uma grande problematica, porque? cabe o Estado intervir em relações de particulares impodo preços? quem pagará o preço?
    bom em relação a pagar, de um jeito ou de outro seremos nós, com certeza. dez vezes o valor do estacionamento, tudo bem. será que os preços pois leis serão mantidos? obvio que não. tá vamos estender essa quetão e levar para os estacionamentos de rua, onde somos obrigados a pagar tickes de R$3,00 por 2 horas, ou dar um valor flanelinhas. será que se fizermos uma compra no shoping no valor de dez vezes o valor do tickes estaremos isentos desta conbrança. lembrando que a rua é “publica” é do Estado é nosso. criticar o privado talves seje mais facil, quem quer abrir mão de ganhar dinheiro, você, eu, o Estado, muito menos. sabemos de uma coisa somos sempre nós que pagamos o pato, quer dizer o tickes. uma abraço a esse povo que luta pelos seus direitos mesmo sem saber quais são.