Conselho de Ética contra o presidente do senado José Sarney é adiado

Em manobra para adiar as investigações sobre denúncias envolvendo o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), a base governista esvaziou ontem a instalação do Conselho de Ética. A oposição na Casa, em retaliação, obstruiu a votação da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO). A pressão contra Sarney aumentou no Senado e pela primeira vez senadores pediram em plenário a renúncia do pemedebista do cargo.

José Sarney

Os governistas impediram a nomeação do presidente e do relator do Conselho de Ética depois da instalação da CPI da Petrobras, que será controlada por PMDB e PT. A reunião do conselho estava marcada para ser realizada na mesma sala onde foram feitas as indicações para a CPI, na sequência, mas depois de duas horas de espera não houve quórum suficiente para instalar o conselho.

Dentro da base governista não havia consenso até ontem à noite sobre o nome a ser indicado para presidir o Conselho de Ética. O grupo ligado ao líder do PMDB, Renan Calheiros (AL), quer que o pemedebista Paulo Duque (RJ) presida o conselho. Seria uma garantia para impedir o afastamento e a cassação de Sarney. Senadores da base e da oposição apoiavam o senador Antonio Carlos Valadares (PSB-SE), considerado mais ” independente ” do que Paulo Duque. Valadares tem bom relacionamento com o PT e é ligado ao governador Marcelo Déda, de Sergipe. Para petistas e senadores da oposição, Valadares garantiria a investigação do presidente do Senado, ou pelo menos manteria a pressão sobre Sarney.

Sem a instalação do Conselho de Ética, as denúncias protocoladas pelo P-Sol e pelo líder do PSDB, Arthur Virgílio (AM), contra o presidente do Senado não poderão ser investigadas pelos senadores. Nem Sarney poderá ser afastado. Mesmo se o conselho for instalado, a composição garante maioria ao PMDB e a aliados de Sarney. As indicações ao conselho foram votadas ontem em plenário. A oposição reclamou e negou-se a votar tanto a LDO quanto qualquer outro projeto que a base governista apresente, até que o Conselho de Ética seja instalado. A líder do governo, Ideli Salvatti (PT-SC), adiou para hoje a votação da LDO. Sem votá-la, os senadores não podem entrar em recesso. Ontem não foi remarcada uma nova reunião para tentar instalar o conselho, mas a previsão é que hoje os senadores se reunam novamente para tentar um acordo.

Fonte:uol


Tags: , , , , , ,

Não encontrou o que queria? Pesquise abaixo no Google.


Para votar clique em quantas estrelas deseja para o artigo

RuimRegularBomMuito BomExcelente (Seja o primeiro a votar)
Loading...



Enviar postagem por email Enviar postagem por email